" Borboleta parece flor Que o vento tirou pra dançar "

segunda-feira, 29 de junho de 2009


Quase acreditei que não era nada,

ao me tratarem como nada.


Quase acreditei que não seria capaz,

quando não me chamavam por acharem que eu não era capaz.


Quase acreditei que não sabia,

quando não me perguntavam por acharem que eu não sabia.


Quase acreditei ser diferente,

entre tantos iguais, entre tantos capazes e sabidos,

entre tantos que eram chamados e escolhidos.


Quase acreditei estar de fora,

quando me deixavam de fora porque... que falta fazia?


E de quase acreditar adoeci;

busquei ajuda com doutores, mestres, magos e querubins.


Procurei a cura em toda parte e ela estava tão perto de mim.


Me ensinaram a olhar para dentro de mim mesmo e perceber que

sou exatamente como os iguais que me faziam diferente.


E acreditei profundamente em mim.

E tenho como dívida com a vida fazer com que cada ser humanos

e perceba, se ame, se admire de si mesmo,

como verdadeira fonte de riqueza.




29/06/2009

ouvindo: Cuida de mim ( O Teatro Mágico )

2 comentários:

  1. De uma vez por todas,
    os seres humanos não nascem
    no dia em que suas mães
    lhe dão à luz, senão que a vida os obriga
    uma e outra vez a dar à luz a si mesmos.
    GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ


    Deus a abençoe!!!

    ResponderExcluir
  2. Confie...

    As coisas acontecem na hora certa.
    Exatamente quando devem acontecer!
    Momentos felizes, louve a Deus.
    Momentos difíceis, busque a Deus.
    Momentos silenciosos, adore a Deus.
    Momentos dolorosos, confie em Deus.
    Cada momento, agradeça a Deus.

    ResponderExcluir